MÚSICA

Ano de lançamento: 2002
Gravadora: Sony Music
Produção: Jaques Morelenbaum, Luiz Brasil, Dadi Carvalho, Kamal Kassin, Swami Júnior, Liminha
Certificação: Disco de Ouro

1. Não me deixe só 3:09
2. Onde Ir 3:56
3. Alegria 3:42
4. Viagem 3:25
5. Case-se comigo 4:14
6. Delírio 2:52
7. Carta (ano de 1890) 3:31
8. Eu não Tenho 3:22
9. Longe Demais 3:51
10. A Força Que Nunca Seca 4:32
11. Bem da Vida 2:39
12. Nossa Canção 3:33
13. Não me deixe só (Remix) 4:07
  • Não me deixe só

    Vanessa da Mata

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz (2x)

    Não me deixe só
    Tenho desejos maiores
    Eu quero beijos intermináveis
    Até que os olhos mudem de cor

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz

    Não me deixe só
    Que o meu destino é raro
    Eu não preciso que seja caro
    Quero gosto sincero do amor

    Fique mais, que eu gostei de ter você
    Não vou mais querer ninguém
    Agora que sei quem me faz bem

    Não me deixe só
    Que eu saio na capoeira
    Sou perigosa, sou macumbeira
    Eu sou de paz, eu sou de bem mas...

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz (2x)

    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah

    Fique mais, que eu gostei de ter você
    Não vou mais querer ninguém
    Agora que sei quem me faz bem

    Não me deixe só
    Que eu saio na capoeira
    Sou perigosa, sou macumbeira
    Eu sou de paz, eu sou de bem mas...

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz

    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah

  • Onde Ir

    Vanessa da Mata

    Eu não sei o que vi aqui
    Eu não sei prá onde ir
    Eu não sei porque moro ali
    Eu não sei porque estou

    Eu não sei prá onde a gente vai
    Andando pelo mundo
    Eu não sei prá onde o mundo vai
    Nesse breu vou sem rumo

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem (não vem)

    Eu não sei o que vi aqui
    Eu não sei prá onde ir
    Eu não sei porque moro ali
    Eu não sei porque estou

    Eu não sei prá onde a gente vai
    Andando pelo mundo
    Eu não sei prá onde o mundo vai
    Nesse breu vou sem rumo

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem (não vem)

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem

    Só sei que o mundo vai de lá pra cá
    Andando por ali
    Por acolá
    Querendo ver o sol que não chega
    Querendo ter alguém que não vem

    Cada um sabe dos gostos que tem
    Suas escolhas, suas curas
    Seus jardins
    De que adianta a espera de alguém?
    O mundo todo reside
    Dentro, em mim

    Cada um pode com a força que tem
    Na leveza e na doçura
    De ser feliz

  • Alegria

    Assis Valente e Durval Maia

    Alegria
    Pra cantar a batucada
    As morenas vão sambar
    Quem samba tem alegria!

    Minha gente
    Era tristre e amargurada
    Inventou a batucada
    Pra deixar de padecer

    Salve o prazer
    Da tristeza não quero saber
    A tristeza me faz padecer
    Vou deixar a cruel nostalgia

    Vou fazer batucada de noite e de dia, vou sambar
    Esperando a felicidade
    Para ver se eu vou melhorar
    Vou cantando , fingindo alegria
    Para a humanidade não me ver chorar

  • Viagem

    Vanessa da Mata

    Suspenderam a viagem
    Fui parar em outro trem
    Que beleza de paisagem
    Fomos rumo a Belém

    Agora que é tempo
    Colher fruta madura no vento
    Pequi não sai do meu pensamento
    Bacia cheia de manga bourbon

    Nasce um sol, nasce uma noite
    E um menino também vem
    Que beleza de paisagem
    É meu filho e passa bem

    Agora é tarde, não dá para adiar a viagem
    João tem três anos de idade
    Não quero merecer outro lugar

    Volto quem sabe um dia
    Porque os trilhos já tiraram do chão
    Olho as tardes, vivo a vida
    Nada é em vão

  • Case-se comigo

    Vanessa da Mata e Liminha

    Case-se comigo
    Antes que amanheça
    Antes que não pareça tão bom pedido
    Antes que eu padeça
    Case comigo
    Quero dizer pra sempre
    Que eu te mereço
    Que eu me pareço
    Com o seu estilo
    E existe um forte pressentimento dizendo
    Que eu sem você é como você sem mim
    Antes que amanheça, que seja sem fim
    Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim
    Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
    Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

    Case-se comigo
    Antes que amanheça
    Antes que não me pareça tão bom partido
    Case-se comigo
    Antes que eu padeça
    Case comigo
    Eu quero dizer pra sempre
    Que eu te mereço
    Que eu me pareço
    Com o seu estilo
    E existe um forte pressentimento dizendo
    Que eu sem você é como você sem mim
    Antes que amanheça, que seja sem fim
    Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim

    Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
    Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

    Seja meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
    Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

  • Delírio

    Vanessa da Mata

    Dá o seu gosto de desejo
    Dá os seus olhos de menino
    Sem regra ou comprometimento
    Sem se importar com que for vendo

    Nossa sede de liberdade
    Eu quero é dançar da forma que me der
    A música expondo o seu corpo à vontade
    Nas incontáveis formas de se divertir

    Dá o seu gosto de desejo
    Dá o seu beijo despojado
    Seus pensamentos mais intensos
    O seu rosto de pecado

    Nos gemidos que desordenam
    Nas mãos que me fazem entender Adão
    A música expondo seu corpo ao delírio
    Nas incontáveis formas de se divertir

  • Carta (ano de 1890)

    Vanessa da Mata

    Ando nas ruas do centro
    Estou lembrando tempos
    Enquanto lhe vejo caminhar

    Aguando a calçada
    Um barbeia um velho
    Deita a noite e diz poesia (serenata)

    Vinho enquanto ouve choro costurar
    Passei em casa, seu Zé não estava
    Memórias Senhor Brás Cubas Postumavam
    Enquanto vi passar Helena pra casa de chá

    Devagar, bonde na praça
    Ainda borda delicadeza
    Torna a gente banca de flores
    Libertando sorrisos no ar

  • Eu não Tenho

    Vanessa da Mata e Lokua Kanza

    Eu não tenho chão
    Eu não tenho casa
    Eu não tenho pão
    Tô vendendo as asas
    Que possuo
    Por não ter nada mais
    Vez em quando um leite, vez um feijão
    Quem jamais ganhou presente de Natal?

    Eu não tenho chão
    Só tenho grão de esperança
    Deixa pra lá Ha quem tem por nós Eu não tenho casa (nada)
    Eu não tenho pão
    Estou vendendo as asas
    Que possuo
    Por não ter nada a mais
    Vou longe com Deus e asas que levo

    Vejo os castelos frente ao meu brinquedo
    Eu não tenho som
    Canto o que me dão
    Viva a vida, vida viverá
    Mas vejo nos olhos de Esmeralda
    Um dom que sossega a minha tristeza
    Só ela contrói
    Sem ela tudo me dói
    Deixa pra lá
    Há quem tenha por nós

  • Longe Demais

    Vanessa da Mata e Liminha

    Beijei seu rosto e guardei
    Achei sincero e sem dúvida
    Era quase de manhã, era madrugada
    A noite esconde a cidade, você some
    Será que é cria da noite e eu não sei
    As horas cessaram naquela manhã que vem
    E é outro dia
    Será um desencontro e eu vou sozinha?
    Ele não dá um sentimento

    Será um jogo intenso que se anuncia
    Ele ri e sabe o que faz?
    Te quis pra minha vida, todo o tempo esperei
    E a vida agora está em torno de você
    Amanhã é longe demais
    Pra quem não tem
    Pra quem não sabe
    Te quis pra minha vida, todo o tempo esperei
    E vida agora está em torno de você
    Amanhã é longe demais
    Pra quem não tem a eternidade

  • A Força Que Nunca Seca

    Vanessa da Mata e Chico Cesar

    Já se pode ver ao longe
    A senhora com a lata na cabeça
    Equilibrando a lata vesga
    Mais do que o corpo dita
    O que faz e equilíbrio cego
    A lata não mostra
    O corpo que entorta

    Pra lata ficar reta
    Pra cada braço uma força
    De força não geme uma nota
    A lata só cerca, não leva
    A água na estrada morta
    E a força nunca seca
    Pra água que é tão pouca

  • Bem da Vida

    Vanessa da Mata e Chico Cesar

    Dundan! Dundan! Dudan! Dandan!
    Dandan! Dandan! Dan!
    Dundan! Dundan! Dudan! Dandan!
    Dandan! Dandan! Dan!

    Viva a felicidade
    Abolindo quase
    Toda a maldade
    Como se o amor trouxesse
    O gozo da infância...

    Bem que volta a inocência
    Bem de ter carinho e delicadeza
    Viva o que nos torna
    O bem maior da natureza...

    Eu era sem primavera
    Dessas que o ano não principia
    Poesia não me dizia
    Ternura em mim não havia
    Faltava encanto na melodia...

    Não parava uma saudade
    Velha de pouca idade
    Ia vivendo a necessidade...(2x)

    Viva a felicidade
    Abolindo quase
    Toda a maldade
    Como se o amor trouxesse
    O gozo da infância....

    Bem que volta a inocência
    Bem de ter carinho e delicadeza
    Viva o que nos torna
    O bem maior da natureza...

    Dundan! Dundan! Dudan! Dandan!
    Dandan! Dandan! Dan!
    Dundan! Dundan! Dudan! Dandan!
    Dandan! Dandan! Dan!

  • Nossa Canção

    Luiz Ayrão

    Olha aqui
    Preste atenção
    Essa é a Nossa Canção
    Vou cantá-la seja aonde for
    Para nunca esquecer
    O nosso Amor
    O nosso Amor...

    Veja bem, foi você
    A razão e o porquê
    De nascer esta canção assim
    Pois você é o amor
    Que existe em mim...

    Você partiu
    E me deixou
    Nunca mais você voltou
    Prá me tirar da solidão
    E até você voltar
    Meu bem eu vou cantar
    Essa Nossa Canção!...

    Hum Hum Hum!
    Hum Hum Hum Hum!
    Hum Hum Hum! Hum Hum Hum!
    Larara! Larara!
    Larara!

    Veja bem, foi você
    A razão e o porquê
    De nascer esta canção assim
    Pois você é o amor
    Que existe em mim...

    Você partiu
    E me deixou
    Nunca mais você voltou
    Prá me tirar da solidão
    E até você voltar
    Meu bem eu vou cantar
    Essa Nossa Canção...

  • Não me deixe só (Remix)

    Vanessa da Mata

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz (2x)

    Não me deixe só
    Tenho desejos maiores
    Eu quero beijos intermináveis
    Até que os olhos mudem de cor

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz

    Não me deixe só
    Que o meu destino é raro
    Eu não preciso que seja caro
    Quero gosto sincero do amor

    Fique mais, que eu gostei de ter você
    Não vou mais querer ninguém
    Agora que sei quem me faz bem

    Não me deixe só
    Que eu saio na capoeira
    Sou perigosa, sou macumbeira
    Eu sou de paz, eu sou de bem mas...

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Eu tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz (2x)

    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah

    Fique mais, que eu gostei de ter você
    Não vou mais querer ninguém
    Agora que sei quem me faz bem

    Não me deixe só
    Que eu saio na capoeira
    Sou perigosa, sou macumbeira
    Eu sou de paz, eu sou de bem mas...

    Não me deixe só
    Eu tenho medo do escuro
    Tenho medo do inseguro
    Dos fantasmas da minha voz

    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah
    Ah ah.ah ah ah ah ah aah