MÚSICA

Ano de lançamento: 2013
Gravadora: Sony Music
Produção: Kassin

1. Caminhos Cruzados 2:55
2. Fotografia 2:26
3. Só Danço Samba 2:27
4. Este Seu Olhar 2:50
5. Chovendo na Roseira 3:21
6. Por Causa de Você 3:05
7. Eu Sei Que Vou Te Amar 2:47
9. Desafinado 2:55
10. Sabiá 3:40
11. Dindi 3:20
12. Wave 2:51
13. Só Tinha De Ser Dom Você 3:52
14. Falando de Amor 3:35
15. Samba De Uma Nota Só 2:12
16. Correnteza 3:02
17. Estrada do Sol 2:53
18. Chega de Saudade 3:50
19. Lamento no Morro 2:29
  • Caminhos Cruzados

    Antonio Carlos Jobim e Newton Mendonça

    Quando um coração que está cansado de sofrer,
    Encontra um coração também cansado de sofrer,
    É tempo de se pensar,
    Que o amor pode de repente chegar.

    Quando existe alguém que tem saudade de outro alguém
    E esse outro alguém não entender,
    Deixa esse novo amor chegar,
    Mesmo que depois seja imprescindível chorar.

    Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
    Nas coisas do amor que ninguém pode explicar!
    Vem, nós dois vamos tentar...
    Só um novo amor pode a saudade apagar

  • Fotografia

    Antonio Carlos Jobim

    Eu, você, nós dois
    Aqui neste terraço à beira-mar
    O sol já vai caindo e o seu olhar
    Parece acompanhar a cor do mar
    Você tem que ir embora
    A tarde cai
    Em cores se desfaz,
    Escureceu
    O sol caiu no mar
    E aquela luz
    Lá em baixo se acendeu...
    Você e eu

    Eu, você, nós dois
    Sozinhos neste bar à meia-luz
    E uma grande lua saiu do mar
    Parece que este bar já vai fechar
    E há sempre uma canção
    Para contar
    Aquela velha história
    De um desejo
    Que todas as canções
    Têm pra contar
    E veio aquele beijo
    Aquele beijo
    Aquele beijo

  • Só Danço Samba

    Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

    Só danço samba
    Só danço samba, vai, vai, vai, vai, vai
    Só danço samba
    Só danço samba, vai
    Só danço samba
    Só danço samba, vai, vai, vai, vai, vai
    Só danço samba
    Só danço samba, vai

    Já dancei o twist até demais
    Mas não sei
    Me cansei
    Do calipso ao chá chá chá

    Só danço samba
    Só danço samba, vai, vai, vai, vai, vai
    Só danço samba
    Só danço samba, vai

    Só danço samba
    Só danço samba, vai
    Só danço samba
    Só danço samba, vai

  • Este Seu Olhar

    Antonio Carlos Jobim

    Este seu olhar
    Quando encontra o meu
    Fala de umas coisas
    Que eu não posso acreditar

    Doce é sonhar
    É pensar que você
    Gosta de mim
    Como eu de você!

    Mas a ilusão
    Quando se desfaz
    Dói no coração
    De quem sonhou, sonhou demais

    Ah! Se eu pudesse entender
    O que dizem os seus olhos

  • Chovendo na Roseira

    Antonio Carlos Jobim

    Olha
    Está chovendo na roseira
    Que só dá rosa mas não cheira
    A frescura das gotas úmidas
    Que é de Betinho, que é de Paulinho, que é de João
    Que é de ninguém!

    Pétalas de rosa carregadas pelo vento
    Um amor tão puro carregou meu pensamento
    Olha, um tico-tico mora ao lado
    E passeando no molhado
    Adivinhou a primavera

    Olha, que chuva boa, prazenteira
    Que vem molhar minha roseira
    Chuva boa, criadeira

    Que molha a terra, que enche o rio, que lava o céu
    Que traz o azul!

    Olha, o jasmineiro está florido
    E o riachinho de água esperta
    Se lança embaixo do rio de águas calmas

    Ah, você é de ninguém!

  • Por Causa de Você

    Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran

    Ah, você está vendo só
    Do jeito que eu fiquei
    E que tudo ficou
    Uma tristeza tão grande
    Nas coisas mais simples
    Que você tocou

    A nossa casa querida
    Já estava acostumada
    Guardando você
    As flores na janela
    Sorriam, cantavam
    Por causa de você

    Olhe meu bem nunca mais
    Nos deixe por favor
    Somos a vida e o sonho
    Nós somos o amor
    Entre meu bem por favor

    Não deixe o mundo mau levá-la outra vez
    Me abrace simplesmente
    Não fale, não lembre
    Não chore meu bem

  • Eu Sei Que Vou Te Amar

    Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

    Eu sei que vou te amar
    Por toda a minha vida eu vou te amar
    Em cada despedida eu vou te amar
    Desesperadamente, eu sei que vou te amar
    E cada verso meu será
    Prá te dizer que eu sei que vou te amar
    Por toda minha vida
    Eu sei que vou chorar
    A cada ausência tua eu vou chorar
    Mas cada volta tua há de apagar
    O que esta ausência tua me causou
    Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
    A espera de viver ao lado teu
    Por toda a minha vida

  • Desafinado

    Antonio Carlos Jobim e Newton Mendonça

    Quando eu vou cantar, você não deixa
    E sempre vêm a mesma queixa
    Diz que eu desafino, que eu não sei cantar
    Você é tão bonita, mas tua beleza também pode se enganar

    Se você disser que eu desafino amor
    Saiba que isto em mim provoca imensa dor
    Só privilegiados têm o ouvido igual ao seu
    Eu possuo apenas o que Deus me deu

    Se você insiste em classificar
    Meu comportamento de anti-musical
    Eu mesmo mentindo devo argumentar
    Que isto é Bossa Nova, isto é muito natural

    O que você não sabe nem sequer pressente
    É que os desafinados também têm um coração
    Fotografei você na minha Rolley-Flex
    Revelou-se a sua enorme ingratidão

    Só não poderá falar assim do meu amor
    Este é o maior que você pode encontrar
    Você com a sua música esqueceu o principal
    Que no peito dos desafinados
    No fundo do peito bate calado
    Que no peito dos desafinados também bate um coração

  • Sabiá

    Antonio Carlos Jobim e Chico Buarque

    Vou voltar!
    Sei que ainda vou voltar
    Para o meu lugar
    Foi lá e é ainda lá
    Que eu hei de ouvir
    Cantar uma Sabiá...

    Vou voltar!
    Sei que ainda vou voltar
    Vou deitar à sombra
    De uma palmeira que já não há
    Colher a flor que já não dá
    E algum amor
    Talvez possa espantar
    As noites que eu não queria
    E anunciar o dia...

    Vou voltar!
    Sei que ainda vou voltar
    Não vai ser em vão
    Que fiz tantos planos
    De me enganar
    Como fiz enganos
    De me encontrar
    Como fiz estradas
    De me perder
    Fiz de tudo e nada
    De te esquecer...

  • Dindi

    Antonio Carlos Jobim e Aloysio de Oliveira

    Céu, tão grande é o céu
    E bandos de nuvens que passam ligeiras
    Prá onde elas vão, ah, eu não sei, não sei
    E o vento que toca nas folhas
    Contando as histórias que são de ninguém
    Mas que são minhas e de você também

    Ai, Dindí
    Se soubesses o bem que eu te quero
    O mundo seria, Dindí, tudo, Dindí, lindo, Dindí

    Ai, Dindí
    Se um dia você for embora me leva contigo, Dindí
    Olha, Dindí, fica, Dindí

    E as águas desse rio
    Onde vão, eu não sei
    A minha vida inteira, esperei, esperei por vo...cê, Dindí
    Que é a coisa mais linda que existe
    É você não existe, Dindí

  • Wave

    Antonio Carlos Jobim

    Vou te contar
    Os olhos já não podem ver
    Coisas que só o coração pode entender
    Fundamental é mesmo o amor
    É impossível ser feliz sozinho...

    O resto é mar
    É tudo que não sei contar
    São coisas lindas que eu tenho pra te dar
    Vem de mansinho à brisa e me diz
    É impossível ser feliz sozinho...

    Da primeira vez era a cidade
    Da segunda o cais e a eternidade...

    Agora eu já sei
    Da onda que se ergueu no mar
    E das estrelas que esquecemos de contar
    O amor se deixa surpreender
    Enquanto a noite vem nos envolver...

    Vou te contar...

  • Só Tinha De Ser Dom Você

    Antonio Carlos Jobim

    É, só eu sei
    Quanto amor eu guardei
    Sem saber que era só prá você

    É, só tinha de ser com você
    Havia de ser prá você
    Senão era mais uma dor
    Senão não seria o amor
    Aquele que a gente não vê
    O amor que chegou para dar
    O que ninguém deu pra você

    É, você que é feita de azul
    Me deixa morar nesse azul
    Me deixa encontrar minha paz
    Você que é bonita demais
    Se ao menos pudesse saber

    Que eu sempre fui só de você
    Você sempre foi só de mim

    Que eu sempre fui só de você
    Você sempre foi só de mim

  • Falando de Amor

    Antonio Carlos Jobim

    Se eu pudesse por um dia
    Esse amor, essa alegria
    Eu te juro, te daria
    Se pudesse esse amor todo dia
    Chega perto, vem sem medo
    Chega mais meu coração
    Vem ouvir esse segredo
    Escondido num choro canção
    Se soubesses como eu gosto
    Do teu cheiro, teu jeito de flor
    Não negavas um beijinho
    A quem anda perdido de amor
    Chora flauta, chora pinho
    Choro eu o teu cantor
    Chora manso, bem baixinho
    Nesse choro falando de amor

    Quando passas, tão bonita
    Nessa rua banhada de sol
    Minha alma segue aflita
    E eu me esqueço até do futebol
    Vem depressa, vem sem medo
    Foi pra ti meu coração
    Que eu guardei esse segredo
    Escondido num choro canção
    Lá no fundo do meu coração

  • Samba De Uma Nota Só

    Antonio Carlos Jobim e Newton Mendonça

    Eis aqui este sambinha feito numa nota só.
    Outras notas vão entrar, mas a base é uma só.
    Esta outra é consequência do que acabo de dizer.
    Como eu sou a consequência inevitável de você.
    Quanta gente existe por aí que fala tanto e não diz nada,
    Ou quase nada.

    Já me utilizei de toda a escala e no final não sobrou nada,
    Não deu em nada.
    E voltei pra minha nota como eu volto pra você.
    Vou contar com uma nota como eu gosto de você.
    E quem quer todas as notas: ré, mi, fá, sol, lá, si, dó.
    Fica sempre sem nenhuma, fique numa nota só.

  • Correnteza

    Antonio Carlos Jobim e Luiz Bonfá

    A correnteza do rio vai levando aquela flor
    O meu bem já está dormindo
    zombando do meu amor
    zombando do meu amor

    Na barranceira do rio o ingá se debruçou
    E a fruta que era madura
    a correnteza levou
    a correnteza levou
    a correnteza levou, ah

    E choveu uma semana e eu não vi o meu amor
    O barro ficou marcado aonde a boiada passou
    Depois da chuva passada céu azul se apresentou
    Lá na beira da estrada vem vindo o meu amor
    vem vindo o meu amor
    vem vindo o meu amor

    Ôu dandá, ôu dandá, ôu dandá, ôu dandá

    E choveu uma semana e eu não vi o meu amor
    O barro ficou marcado aonde a boiada passou

    A correnteza do rio vai levando aquela flor
    E eu adormeci sorrindo
    Sonhando com nosso amor
    Sonhando com nosso amor
    Sonhando...

    Ôu dandá etc...

  • Estrada do Sol

    Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran

    É de manhã
    Vem o sol
    Mas os pingos da chuva
    Que ontem caíram
    Ainda estão a brilhar
    Ainda estão da dançar
    Ao vento alegre
    Que me traz esta canção

    Quero que você
    Me dê a mão
    Vamos sair por aí
    Sem pensar
    No que foi que sonhei
    Que chorei, que sofri
    Pois a nova manhã
    Já me fez esquecer
    Me dê a mão
    Vamos sair pra ver o sol

  • Chega de Saudade

    Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

    Vai minha tristeza
    E diz a ela que sem ela não pode ser
    Diz-lhe numa prece
    Que ela regresse
    Porque eu não posso mais sofrer

    Chega de saudade
    A realidade é que sem ela não há paz
    Não há beleza
    É só tristeza e a melancolia
    Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

    Mas se ela voltar, se ela voltar
    Que coisa linda, que coisa louca
    Pois há menos peixinhos a nadar no mar
    Do que os beijinhos que eu darei
    Na sua boca

    Dentro dos meus braços
    Os abraços hão de ser milhões de abraços
    Apertado assim, colado assim, calado assim
    Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
    Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim

    Não há paz
    Não há beleza
    É só tristeza e a melancolia
    Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

    Dentro dos meus braços
    Os abraços hão de ser milhões de abraços
    Apertado assim, colado assim, calado assim
    Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
    Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim

    Não quero mais esse negócio de você longe de mim
    Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

  • Lamento no Morro

    Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

    Não posso esquecer
    O teu olhar
    Longe dos olhos meus
    Ai, o meu viver
    É de esperar
    Pra te dizer adeus
    Mulher amada
    Destino, destino meu
    É madrugada
    Sereno dos meus olhos já correu
    Não posso esquecer
    O teu olhar
    Longe dos olhos meus
    Ai, o meu viver
    É de esperar
    Pra te dizer adeus